quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

Cuidando do Jardim (1)


Aproveitando o feriadão do Carnaval 2018 conclui uma das tarefas planejadas.
O bojo luminária de vidro guardado há anos,  esperava ter sua plantinha, o que já acontecera com o outro. Usei coquinhos  como seixos para deixar o jarro mais leve. Areia lavada e terra adubada.














Duas mudinhas vindas de jarros diferentes esperavam a hora do plantio. Uma delas, inclusive, estava numa xícara do meu jardim de canecas há anos e precisava de nova casa.
Suculenta em nova casa. Depois do plantio e de uma rega generosa levei para o lugar onde pretendo deixar. O local escolhido, além de vento e luminosidade indireta o tempo todo, recebe luz solar bem cedinho.












O outro bojo luminária, já plantado há uns dois anos. A suculenta é grande. Recebe luz solar cedinho. A flor é um espigão fininho, no mesmo tom das folhas. Já fiz várias mudas a partir das folhas. A matriz dessa suculenta está conosco há algumas décadas.

 
Apreciando o resultado. Gostei.

quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

SENSAÇÃO ÍMPAR


SENSAÇÃO ÍMPAR (*)
Thelma Regina Siqueira Linhares 

Esperada há décadas 
Foi surpresa – das fortes! 
E de múltiplas sensações: 
alegria 
tristeza 
medo 
frustração 
conquista. 

Se de mais porque cheguei 
- conseguindo finalmente! 
Se de menos porque cheguei 
- final de um período... 

Múltiplas sensações 
- inexplicavelmente - 
no dia da aposentadoria. 



(*) Publicado na Coletânea Antologia de Poetas Brasileiros Contemporâneos, 16º volume, da CBJE, RJ/2005. 

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

SIBITOS



Sibitos
Thelma Regina Siqueira Linhares

S sibitos pequenos pássaros 
I instintos em ação 
B botam ovos em ninhos preparados.
I irracionais e, no entanto,
T ternamente e responsáveis 
O orgulhosos cuidam das crias.
S só cantorias e liberdades.


(Olinda/PE. 15.01.2018)

Várias ninhadas de SIBITOS já nasceram aqui no jardim. Lindo vê-los preparar o ninho e depois da postura dos ovos, três em média, o revezamento em alimentá-los. Os ensinamentos que adivinho sejam passados aos mais novos. Os primeiros vôos. Enfim, o amadurecimento dos filhotes e, literalmente, o vôo do ninho. Para, então, uma nova ninhada ser preparada.


sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

Presente... LULA GONZAGA

Presente... LULA GONZAGA


Apresentada às ilustrações de Lula Gonzaga, na década de 1970, nos impressos da série Folclore, micromonografias editadas por 
Mário Souto Maior, através do Centro de Estudos Folclóricos da FUNDAJ. 

Superstições do Futebol. Nº 51 e 52. Ano de 1978. Meu primeiro escrito já veio assim: embelezado pela criatividade e traços de 
Lula Gonzaga. 
Décadas depois, reencontro Lula Gonzaga, colega da Secretaria de Educação do Recife, embora em setores e locais diferentes.
Uma das vezes em que foi ao CAP-Centro Administrativo Pedagógico presenteou-me com algumas ilustrações. Originais. Belas.
Personalíssimas. Com autorização fiz meu cartão de Natal em 2008.
A Lula Gonzaga: Gratidão!!
LULA GONZAGA... Presente!!!


https://socializandoleituras.blogspot.com.br/2018/01/presente-lula-gonzaga.html

quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

FLORES: o bônus das plantas

Gosto de fotografar. 
E fotografar a Natureza é especial.
Neste começo de ano, fiz um levantamento das flores encontradas no primeiro dia.
Observei que, em outros anos, houve mais diversidade, mas é lindo ver as flores, 
o bônus das plantas.

Cosmos (Amarela, Alaranjada e Laranja)





Chananas


Buganvíleas



  Flamboyanzinhos



Alpínia

 Trevo

Antúrios


Hibiscus


Buquê de Noiva

Jasmim Manga


Oxalis Hedysaroides (chamamos de Treme-Treme)


Espada de São Jorge


Mini Ixora

Abacaxis Decorativos



Florzinhas Campestres

Suculenta 
Cafezinho 


Flores da Pitangueira


 Na realidade, as flores da Pitangueira é que me motivaram a fazer esse levantamento floral. A exuberância delas, tão delicadas e pequenas, transformaram o pé, que teve uma poda, pós safra. A segunda de sua existência. E surpreenderam, pois achava que não teria mais pitangas tão logo. Coincidindo com o período natalino, brincava dizendo que aqui no calorão, branco só da pitangueira... Que venham lindas e saborosas pitangas!!! 

terça-feira, 2 de janeiro de 2018

2018 Feliz!!!

  2018 Feliz!!!
FELIZ palavra que escolhi para resumir meus votos de boas festas para o 
Ano Novo recém-inaugurado. 
A esse adjetivo, associei todo e qualquer sentimento e emoção que pudesse ser sonhado e/ou ser realizado. 
E compartilhado.

 

 Essa foto do SOL foi feita na primeira manhã do Ano Novo.
A da LUA CHEIA, considerada Superlua, 
na primeira noite de 2018.
Belezuras!

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

Meus PRESÉPIOS


Presépio ou Lapinha. 
Representação do momento do nascimento do Menino Jesus, com destaque para a representação dos personagens:  Menino Jesus (filho de Deus e o Salvador), 
Virgem Maria (mãe de Jesus Cristo), José (pai de Jesus Cristo),
Manjedoura com palhas em um curral (local onde nasceu Jesus), 
Burro e Boi ou ovelhas (animais do curral, representam a simplicidade do local onde Jesus nasceu),
 Anjos (responsáveis por anunciar a chegada de Jesus),
 Estrela de Belém (orientou os reis Magos quando Jesus nasceu), 
Pastores (representam a simplicidade das pessoas do local em que Jesus nasceu), e
 Reis Magos (Melquior, Baltazar e Gaspar).


Segundo a tradição cristã, São Francisco de Assis, em 1223, idealizou e montou 
 o primeiro presépio em argila, na floresta de Greccio (comuna italiana da região do Lácio), 
para melhor explicar o significado do nascimento de Jesus Cristo.
No século XVIII, o hábito de se montar presépio, 
nas casas se popularizou da Europa para outras regiões do mundo.
E hoje, tanto residências, quanto diferentes espaços públicos e comerciais
 mantém essa tradição natalina.

Esse Menino Jesus é a primeira peça da minha coleção. Na realidade, ele é o que sobrou do Presépio ou Lapinha da minha infância, lá em Fortaleza, com cerca de dez personagens. Puxando pela memória, lembro de Mamãe Ivanice e, especialmente de Papai Nami construindo todo um cenário para montar o Presépio na sala de casa. Casinhas de caixas de fósforo, bichinhos diversos, pedras e montanhas em papel, um laguinho com espelho e areia da praia. Luzes e velas que devem ter contribuído para o nosso encantamento, meu e de minha irmã Edna Maria naquele Natal.

Este presépio é pequenino. Tinha mais três pecinhas que quebraram: a gruta com estrelinha, um cacto e um carneiro. De barro. Das mãos e artes de Lauro Euzébio, de Caruaru/PE. Interessante 
observar que ele traz um toque de regionalismo, com a representação de cactos.

De Caruaru/PE. Em barro e sem autoria identificada. Na estilização de uma quartinha, 
a gruta e a cena do nascimento do Menino Jesus.

De Adilza. Artesã de Caruaru/PE. Esse presépio em barro.

 
 Este presépio é único! Alemão. 
A base de madeira foi trabalhada por Klaus, que concebeu todo o desing.

Alemão, também. Pequenino. Tamanho de uma noz. Em plástico. 
Sthella quem me presenteou.

Alemão, também. Em resina. Presente de Rodrigo.

Do Peru. Comprado numa Fenearte. 
(Apresenta já uma marquinha do tempo...)

Também do Peru e comprado na Fenearte deste ano. 
Madeira pintada no santuário e personagens em resina. 
E, já tem uma história de restauro, apesar da estreia. 
Nossa parceria não é Benjamin? 

Edvaldo encontrou esse mimoso presépio miniatura nas Paulinas.

Em resina, esse Menino Jesus. Presente de tia Nida há mais de uma década.

Em resina. Comprado em lojinhas de R$1,99. Há mais de uma década.

Esse menino Jesus foi presenteado a minha Madrinha Getrudes por sua irmã Dulce. 

 
Presépio made in...  (1)
Comprado em lojinha de bairro. Na minha coleção há cerca de duas décadas.

Presépio made in...  (2)
Comprado em lojinha de bairro. Na minha coleção há cerca de duas décadas.

  Da Alemanha. Em cera. Já perdeu o cheirinho...

Da Alemanha. Em Madeira. Proposta inicial ser enfeite da árvore de Natal. 
Mas retirei para a minha coleção de presépios.

Apresentação da minha coleção de Presépios, ano 2017.
 Singela e afetiva.